.

.
DEUS MOSTRA ATRAVÉS DA SENHORA DE TODOS OS POVOS O CAMINHO DA VERDADEIRA PAZ!
Conferência do Padre Paul Maria Sigl
«Leva esta imagem pelo mundo! Não estou a falar apenas para teu país, mas para o mundo inteiro.
O mundo está corrupto!  O mundo sofre catástrofe sobre catástrofe.
O mundo caminha para a ruína econômica e material.
Haverá guerras até que o verdadeiro Espírito venha em nosso auxílio!
RECONDUZ OS HOMENS À CRUZ!»
(Mensagem de Amsterdam de 15 de novembro de 1951)
Em 1830, com a aparição da Imaculada na Rua du Bac em Paris, durante a qual Nossa Senhora nos revelou a importância da Medalha Milagrosa, começou a “Época Mariana”. Este período histórico foi assim nomeado, pois em nenhuma outra época anterior Nossa Senhora tinha expressado este amor materno e aparecido em tantos lugares diferentes– e isso sobretudo  na Europa. Vamos pensar, por exemplo, nas aparições reconhecidas pela Igreja : La Salette, Lourdes, Knock na Irlanda, Fátima,
Beauraing e Banneux na Bélgica.
Tínhamos uma necessidade absoluta de sentir a Sua poderosa proteção, de sentir Sua presença e a Sua proximidade, uma vez que nos últimos cento e oitenta anos, Satanás tentou atacar Deus, destruir os povos, a Igreja e o mundo, como nunca o fizera até então. Com a vinda da Imaculada e com a revelação da Medalha Milagrosa começou a “Época Mariana” que tanta importância tem para todos nós.
  A “Época Mariana” culmina com a vinda da SENHORA, MÃE DE TODOS OS POVOS, a Amsterdam. O ciclo das aparições em Amsterdam aconteceu há mais ou menos cinquenta anos, mas continua atual. E como! A importância das aparições da Senhora de todos os Povos, cuja origem
sobrenatural foi confirmada por decreto de 2002 do Bispo Mons. Jozef M. Punt, mais se acentua face à crise que atinge praticamente todos os domínios da Igreja e do mundo, que parece não ter solução, e ameaça a paz mundial.
É absolutamente necessário, para o nosso futuro próximo, que compreendamos até que ponto a paz que aspiramos para as famílias e para os povos, depende do cumprimento agora e hoje do pedido feito pela Virgem em Amsterdam. Tudo depende de nossa colaboração!
Josef  M. Punt bispo de Amsterdam

Em 25 de Março  de 1945, festa da Anunciação, Nossa Senhora aparece, no maior silêncio, a Ida Peerdeman, na época com quarenta anos, no seu apartamento de Amsterdam. No decorrer de cinquenta e seis aparições, a Mãe de todos os Povos fala durante catorze anos às nações e aos povos (principalmente à Alemanha).
Ela dirige-se ao Papa, aos Bispos, aos sacerdotes, aos consagrados, às famílias, aos homens, às mulheres, às crianças e a todos os homens de boa vontade. Como mãe, alerta-nos contra a perda da fé, a corrupção moral, as calamidades e a guerra.
Ela quer, segundo as Suas próprias palavras, salvarnos de uma grande catástrofe mundial que nos ameaça, para nos conduzir a uma nova época de renovação espiritual, um tempo de paz. A Senhora de todos os Povos vem sensibilizar-nos sobre o grande valor e o poder divino dos sacramentos, especialmente da sagrada Eucaristia.

Na Sua mensagem de 3 de Dezembro de 1953 em Amsterdam, Maria diz à vidente: «As forças do inferno vão-se desencadear, mas não vencerão a Senhora de todos os Povos». Maria é sempre designada como “MULHER” quando é referida a Sua vocação universal de Mãe de todos os homens de todos os tempos. E lembra-nos: «A humanidade está confiada à Mãe». (15.08.1951)
A Mãe de todos os Povos relaciona a este título muitas e consoladoras promessas: «Sob este título
Ela salvará o mundo». (20.03.1953) «Foi dado à Senhora de todos os Povos o poder de levar a paz ao mundo. Mas, para isso, é necessário que lho peçam, devendo ser invocada sob este título». (11.10.1953) Ela é verdadeiramente Mãe de todos os povos, tribos, raças, e de todo e qualquer credo religioso. Ela ama todos os seus filhos, mesmo aqueles que ainda não conhecem o seu amor maternal, especialmente aqueles que não querem saber dela.
A MÃE DE TODOS OS POVOS poderá obter e dar à humanidade a paz universal e duradoura, tal
como um verdadeiro ecumenismo e a união no Espírito Santo.
Foi para obter esta paz duradoura, esta união no Espírito Santo, que Nossa Senhora nos revelou a
Sua oração, desde a primeira mensagem. A oração é, portanto, uma magnífica súplica para implorar a vinda do Espírito Santo. Que ele venha AGORA e ao coração de TODOS os povos! A Senhora fala-nos agora de algo muito importante relativo a esta oração. Vamos ouvir as Suas palavras: «Invoquem (à Senhora de todos os Povos) para que acabe com a decadência deste mundo. Da decadência provêm as calamidades; da decadência provêm as guerras. Através da minha oração podereis pedir para que o mundo seja poupado. Vós não conheceis o poder e a importância que esta oração tem junto de Deus». (31.05.1955)
As desgraças e as guerras derivam, portanto, da decadência moral! Já tinham ouvido uma afirmação tão precisa e clara? É extremamente explícita e de fácil compreensão. Se não entregarmos os nossos pecados a Deus e não nos arrependermos, não só fazemos mal a nós mesmos como também Satanás adquire mais poder, servindo-se dele para nos prejudicar sem piedade com o ódio que nutre por nós.
«Não conheceis o poder e a importância desta oração junto de Deus. Ele atenderá a Sua Mãe, porque Ela quer ser a vossa Advogada». (31.05.1955)
+
"Senhor Jesus Cristo, filho do Pai,
enviai agora a terra o vosso Espírito,
fazei que o Espírito Santo habite nos corações
de todos os povos, para que sejam preservados
da decadência, das calamidades e da guerra,
que a Senhora de Todos os Povos, a Santíssima
Virgem maria, seja nossa advogada. Amém"





Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENÁRIO OU ESCREVA PARA NÓS PELO E-MAIL:
apostolosdarosamistica@hotmail.com