.

.
GRANDE DEFENSOR DA FÉ CATÓLICA !

LADAINHA OFICIAL DO MÁRTIR SÃO SEBASTIÃO

São Sebastião, Intrépido Capitão de Jesus Cristo, 
T -  Rogai por nós!
Valente Defensor da Santa Igreja,
Fiel imitador dos Apóstolos,
Coluna Inabalável do Evangelho,
Invencível atleta da fé Católica,
Morada do Espírito Santo,
Farol da Santa doutrina cristã,
Estrela radiante de sabedoria e humildade,
Protetor contra as Guerras,
Radiante luzeiro de Justiça e caridade,
Guardião perpétuo da Juventude,
Defensor poderoso contra a fome e as epidemias,
Escudo vitorioso contra os ataques do Inferno,
Esmagador invicto dos inimigos da Fé,
Patrono e modelo dos militares,
Socorro imediato contra as doenças e as calamidades,
Restaurador da Paz entre os Homens,
Consolação e Esperança dos prisioneiros,
Profeta e Vítima do amor de Jesus Cristo,
Guerreiro defensor de vossos devotos,
Advogado dos desesperados e dos pecadores,
Querubim abrasado de zelo pela glória de Deus,
Porta Estandarte da Cruz,
Servo e mensageiro da Santíssima Trindade,
Príncipe dos mártires militares,
Auxilio urgente e eficaz em nossas necessidades,
Cujo corpo foi dolorosamente transpassado por setas,
Que fostes cruelmente humilhado e açoitado,
Que sofrestes um duplo e heróico martírio;
Que tudo renunciastes para ganhar a Cristo,
Manso como um cordeiro levado ao sacrifício,
Confortado pelos anjos em vosso martírio,
Coroado de Incomparável glória no céu,
Admirável Padroeiro do Rio de Janeiro,
Intercessor nosso junto ao trono do Altíssimo,
cuja memória durará por todo os séculos,
Honra e glória da Igreja triunfante
Glorioso mártir São Sebastião:
Nas minhas dúvidas, orientai-me;
Com vossa espada poderosa, salvai-me
Da fome e das doenças, afastai-me;
Das setas do maligno, defendei-me,
Dos vícios e das drogas, libertai-me
O caminho da Justiça e da verdade, mostrai-me;
Com o sangue precioso que derramastes, lavai-me!
Santo Guerreiro da Justiça e da Vida, amparai-me;
Das secas, das tempestades e da guerra, livrai-me;
Com o fogo do Espírito Santo, transformai-me;
Do medo e da violência, protegei-me;
Com a Santíssima Virgem Maria, abençoai-me
Na hora de minha morte, serenai-me
 e conduzi-me em vossa companhia ao Reino celestial.
(autor: Lúcio Gouvea/RJ - moderador deste blog - 
 nihil obstat de D. Estêvão Bittencourt -
Mosteiro de S.Bento/RJ-Brazil)
Nascido na cidade de Narbona, França, no ano 256 da nossa era cristã, foi educado em Milão, norte da Itália, de onde era sua mãe. De família cristã, bem jovem se sentiu atraído pela milícia romana. Seu pai era militar. O Império era dirigido por Diocleciano e se extendia por toda a região ocidental do Mar Mediterrâneo.   Sua condição e seu porte nobres, sua valentia e arrojo, fizeram que se destacasse no cumprimento das suas funções, e o governador [imperador] romano Maximiano o apreciava por sua valentia e bons serviços, chegando a nomeá-lo chefe da primeira coorte da Guarda Pretoriana Imperial.
Converteu numerosos membros do exército romano, sendo novamente levado diante do imperador que se espantou ao vê-lo vivo, pois o cria morto. Indignado pela firme convicção cristã de seu antigo amigo, mandou-o matar a pauladas, e jogar seu corpo numa cloaca. Resgatado novamente pelos cristãos foi enterrado numa Catacumba da Via Ápia, que leva seu nome. Morreu no ano 288, aos 32 de idade.
 Sua fama ganhou grande destaque quando no ano 680 a cidade de Roma foi tomada pela peste. Suas relíquias foram transportadas até a Basílica de São Pedro daquele então, e a peste cessou. O fato divulgou-se rapidamente e começou a ser invocado por toda parte, como protetor das epidemias e como defensor da Fé contra os inimigos da Religião Católica.
São Sebastião é muito popular no Brasil,  padroeiro da cidade maravilhosa de São Sebastião do Rio de Janeiro. Parte das relíquias de seu corpo foi dada pelo papa Eugênio II à abadia de Saint Médard de Doissons em 828. É o santo defensor das moléstias contagiantes, invocado nas epidemias. Nas guerras e escassez de víveres. Os devotos de São Sebastião não morrem de fome, de peste nem de guerras.