SALVE CHEIA DE GRAÇA!
Por meio de Maria, o Verbo Divino assume nossa natureza humana, se faz carne, sujeitando-se ao tempo e espaço!
“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,14)
É o momento histórico, em que o SIM do Filho ao Pai precedeu o da Mãe: 
“Então eu disse: Eis que venho (porque é de mim que está escrito no rolo do livro), venho, ó Deus, para fazer a tua vontade” (Hb 10,7). Mas Ele não suprimiu o necessário SIM humano da Virgem Santíssima.
Cumprindo desta maneira a profecia de Isaías:
 “Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco” (Is 7,14).
O dia 25 de março foi escolhido para a comemoração do anúncio do nascimento do Salvador porque representa exatamente nove meses antes do Natal de Jesus, em 25 de dezembro. A Igreja professa que, no mesmo dia em que o anjo anunciou a Maria, ela ficou grávida, por obra do Espírito Santo. Como uma gestação normal dura por volta de nove meses, contou-se, partindo de 25 de dezembro para trás, e chegou-se ao dia 25 de março.
Estando Maria noiva de José, isto é, casada com ele, mas sem morarem juntos, o Arcanjo chamado Gabriel apareceu a ela e lhe fez uma proposta em nome do próprio Deus. 
A proposta foi a seguinte: “Eis que conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus.  
Ele será grande e chamar-se-á Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi; e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu reino não terá fim.”
Quando Maria compreende a profundidade do que está acontecendo, ela se coloca nas mãos de Deus como escrava. “Então disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra.
O mesmo "faça-se" divino que criou todas as coisas, agora pela boca de Maria, renova a criação em Jesus Cristo.
Maria tinha a liberdade de dizer “não”, porque Deus não obriga ninguém a nada. 
Mas, livremente, ela disse “Sim!” E Jesus, o Filho de Deus, entrou na história humana, para salvar a humanidade.
Ao celebrar a festa da Anunciação nove meses antes do nascimento de Jesus, a Igreja valoriza a vida humana desde a sua concepção e não só depois do nascimento. Os nove meses de gestação de Jesus no ventre de Maria são muito valorizados, não só pela Igreja, mas pelo próprio Deus. Tanto que que o anjo avisa Maria que sua prima Isabel também estava grávida.
João Batista, no seio de Isabel e Jesus, no seio de Maria, participam do maravilhoso encontro de suas mães. Estão vivos, são pessoas e tem reações dentro do útero de suas mães.
"...e Isabel ficou cheia do Espírito Santo e exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre. (Lc. 1,41) 
Se Isabel pronunciou essas palavras estando cheia do Espírito Santo, significa que o próprio Espírito Santo, terceira pessoa da Santíssima Trindade, foi quem falou através dela.
Por tudo isso, a Anunciação do Senhor deve ser celebrada com alegria e gratidão por todos os fiéis.
É um dia de bênçãos eternas que caíram sobre a humanidade e mudaram o rumo da história. 
É um dia de grande revelação da bondade, da misericórdia e do infinito amor que Deus tem por nós. 
Assim, a oração da Ave Maria deve ser rezada com muito amor e gratidão.
No entanto, se por um lado a impiedade dos homens e a ação dos demônios têm causado ódio, violência e maldade por toda a Terra, as contínuas aparições de Nossa Senhora são auxílios divinos em nossa luta contra os poderes das trevas. Por isso, Satanás abomina as aparições marianas, Se Satanás odeia a Virgem Maria e diz que as suas presenças são o maior mal deste tempo para ele, ao contrário, devemos amar profundamente a Mãe de Deus e reconhecer nas suas aparições o maior bem do nosso tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENÁRIO OU ESCREVA PARA NÓS PELO E-MAIL:
apostolosdarosamistica@hotmail.com