MARAVILHOSO MILAGRE  DA MÃE DO BOM CONSELHO
Envolta numa luminosa nuvem, a imagem da Mãe do Bom Conselho translada-se da Albânia para a cidade de Genazzano (Itália), dando início a um ininterrupto desfilar de milagres e graças.
Detenha-se um pouco na contemplação desta maravilhosa pintura. Ela representa a Santíssima Virgem com inefável afeto materno, amparando em seus braços o Menino Jesus, ambos encimados por um singelo arco-íris.
As cores são suaves, e finos os traços dos admiráveis semblantes. O Menino Jesus transmite a candura de uma criança e a sabedoria de quem analisa toda a obra da criação e é o Senhor do passado, do presente e do futuro.
Há entre eles uma atraente intimidade, e a união de almas bem se vê refletida na troca de olhares. 
Em meados do século XIV, a Albânia passava por grandes aflições. Após ser disputada durante séculos pelos povos vizinhos, ela estava então sendo invadida pelo poderoso império turco. Não dispondo de estrutura militar capaz de resistir ao poderoso adversário, o povo aflito rezava, confiando no auxílio dos céus.
Nessa emergência, surgiu um varão de Deus, de nobre linhagem e devotíssimo de Nossa Senhora, decidido a lutar pela Padroeira e pela liberdade de seu país. Seu nome é Jorge Castriota, chamado em albanês de Scanderbeg.
À custa de imensos esforços bélicos, conseguiu ele manter a unidade e a Fé de seu povo.
Nessa aflita situação, a Virgem Maria, venerada num afresco em Scútari aparece em sonhos a dois dos valentes soldados de Scanderbeg, chamados Georgis e De Sclavis, ordenando-lhes que a seguissem em uma longa viagem,  Certa manhã, lá estando ambos em fervorosa oração, vêem o maior milagre de suas vidas.
O maravilhoso afresco se desprende da parede e, conduzido por anjos, envolto em alva e luminosa nuvem, suavemente vai se retirando do recinto. Bem podemos imaginar a reação dos bons homens! Atônitos, acompanham Nossa Senhora que avança pelos céus de Scútari. Quando se dão conta, estão às margens do Mar Adriático. Haviam percorrido trinta quilômetros sem sentir cansaço! Sempre envolta na alva nuvem, a milagrosa imagem avança mar adentro.
Tal como São Pedro sobre o lago de Genezaré, estes dois homens caminham sobre o Mar Adriático, guiados pela própria "Estrela do Mar".
Sem saber dizer durante quanto tempo andaram, nem quantos quilômetros deixaram para trás, os bons devotos vêem novas praias. Estavam na Península Itálica!
Era o dia 25 de abril de 1467 e o povo de Genazzano na Itália ouve uma melodia de rara beleza, vinda do céu. Faz-se silêncio e todos notam que aquela música provinha de uma nuvenzinha branca, tão luminosa que ofuscava os raios do próprio sol. Ela desce gradativamente e se dirige para a parede inacabada de uma capela construída pela Beata Petruccia de Nocera. A multidão acorre estupefata, enche o pequeno recinto e vê a nuvem desfazer-se.
Estes constataram a veracidade do que se dizia e testemunharam, diariamente, inúmeras curas, conversões, e prodígios realizados pela Mãe do Bom Conselho. Nos primeiros 110 dias após a chegada de Nossa Senhora, registraram-se 161 milagres.
Conselho, correção, orientação: grandes favores
Entre seus grandes devotos destacam-se os papas São Pio V, Leão XIII - que incluiu a invocação Mãe do Bom Conselho na Ladainha Lauretana - São Pio X, Paulo VI e João Paulo II; e numerosos santos como São Paulo da Cruz, São João
Bosco, Santo Afonso de Ligório, Beato Orione.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENÁRIO OU ESCREVA PARA NÓS PELO E-MAIL:
apostolosdarosamistica@hotmail.com