ISLÂMICOS QUEREM TIRAR A CRUZ DA BANDEIRA DA SUÍÇA
Enquanto isso, nos países árabes quem falar em retirar o símbolo islâmico da bandeira, pode ser condenado a morte!
 A associação de imigrantes islâmicos na Suíça anunciou uma ESTRATÉGICA campanha nacional visando remover a Cruz branca da bandeira nacional, informou o Hudson Institute, seção de New York, especializado em geoestrategia.
O grupo argumenta que é um “símbolo cristão que não mais corresponde à Suìça multicultural de hoje”. Ivica Petrusic, vice-presidente do grupo muçulmano, explicou que a Cruz ofende os imigrantes maometanos e que os suíços, portanto, deveriam escolher outro símbolo.
Resultado da fraqueza e anestesia de fé que vivem os cristãos católicos na 'moderna' Europa, a invasão muçulmana agora quer impor suas leis aos países tradicionalmente cristãos....
Símbolos do alcorão figuram nas bandeiras de muitos países islâmicos e quem falasse em remové-los poderia ser judicialmente condenado à morte.
E naqueles países onde há minorías cristãs, ninguém ousa falar em multiculturalismo ou respeito. Pelo contrário, só se houve falar em perseguição religiosa.
Enquanto nos países islâmicos, um pregador público do Evangelho pode ser condenado à morte,
O chefe da comunidade islâmica da Basiléia foi processado por pregar a implantação da Lei Islâmica (sharia) no país e a flagelação pública de mulheres.  
VAMOS PEDIR TAMBÉM A RETIRADA DOS SÍMBOLOS ISLÂMICOS DAS BANDEIRAS ÁRABES EM RESPEITO AS MINORIAS CRISTÃS NESSES PAÍSES !
Na Suíça há por volta de 400.000 muçulmanos, que possuem 200 mesquitas e 1.000 locais de culto. Eles promovem uma infinidade de processos jurídicos para impor os preceitos islâmicos nos costumes do país.
O líder islâmico propôs na Suíça uma bandeira verde, vermelha e amarela, mais parecida com as da Bolivia e de Ghana.
Na verdade, é um meio termo rumo a uma futura bandeira com as cores rituais islâmicas: verde, vermelho, preto e branco.
Acreditem, a este ponto chegou a ousadia islâmica na Europa!!!!
 O conservador Partido do Povo Suíço (SVP), o maior do país, recusou a proposta como “totalmente inaceitável”. Termos análogos foram empregados pelos portavozes do Partido Democrata Cristão (CVP) e Liberal.
A reação imediata dos grandes partidos foi um sinal que eles perceberam a periculosidade da proposta e as conotações explosivas que a envolvem.
Por causa dessas decisões livres e democráticas de bom senso, o país foi vituperado pelas esquerdas internacionais, inclusive as católicas “ecumênicas” e laicistas.

Um comentário:

  1. Até o momento 35 mortos pelos exércitos de Maomé no Egito e agora querem destruir a fé cristã na Europa! Meu Deus o que está acontecendo com este planeta!!!

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENÁRIO OU ESCREVA PARA NÓS PELO E-MAIL:
apostolosdarosamistica@hotmail.com