.

.
OS SANTOS TRANSFORMAM O MUNDO!
A presença de Deus manifesta-se, de maneira clara nos seus Santos. O seu testemunho de fé pode dar-nos a coragem para um novo despertar!
As sete mártires da Visitação - Espanha

Sim, os Santos mostram-nos que é possível e que é bom viver, de modo radical, a relação com Deus, colocando Deus no primeiro lugar e não como uma realidade entre as outras. Os Santos põem em evidência o fato de que foi Deus que tomou a iniciativa de Se dirigir a nós; em Jesus Cristo, manifestou-Se e manifesta-Se a nós.
Beata Irmã Dulce dos Pobres - Brasil

Cristo vem ao nosso encontro, fala a cada indivíduo e convida-o a segui-Lo. Esta possibilidade foi valorizada pelos Santos, e d’Ele receberam a luz que lhes desvendou a vida verdadeira.
A Igreja não se detém diante das fronteiras dos países; demonstra-o as nacionalidades dos Santos.
 Santidade não é um atributo de Deus, mas sua natureza essencial (Espírito Santo). Santidade se refere a Deus e ou aquilo feito santo por ele e portanto nenhuma santidade existe fora dele.
Afinal, Deus disse, tanto no Velho como no Novo Testamento, "Santos sereis, porque eu, o Senhor, sou santo" (Levítico 19:2; 1 Pedro 1:16).
São Pio de Pietrelcina - Estigmatizado - Itália

A figura dos Santos que recordamos mostram-nos a grande fecundidade de uma vida santa, deste amor radical a Deus e ao próximo. Os Santos, apesar de serem poucos, mudam o mundo.
À semelhança dos Santos, queremos ir, como cristãos, ao encontro dos nossos concidadãos e convidá-los a descobrirem conosco a plenitude da Boa Nova.
Fomos criados à sua imagem, mas onde estamos agora? Examinemos nossas vidas e vejamos se espelhamos a santidade de Deus.
Para fazer de um homem um santo, só é necessária a Graça. Quem duvida disto não sabe o que é um santo, nem o que é um homem!
Para compreender a Igreja, é necessário conhecer os santos, que são o seu sinal e o seu fruto mais amadurecido e eloquente. 
Beata madre Tereza de Calcutá - Índia
Para contemplar o rosto de Cristo nas mutáveis e diversas situações do mundo contemporâneo, é preciso olhar para os santos que "representam profundamente o rosto de Cristo", como nos recorda o Papa.
A Igreja deve proclamar santos e há-de fazê-lo em nome daquele anúncio da santidade que a enche e a transforma precisamente em instrumento de santidade no mundo.
  
São Sebastião - mártir Romano do século III

Deus manifesta de forma viva aos homens a sua presença e o seu rosto na vida daqueles que, embora possuindo uma natureza igual à nossa, se transformam mais perfeitamente na imagem de Cristo.
 O mundo muda, mas os santos representam sempre o mesmo rosto vivo de Cristo. Existe nisto, um sinal inconfundível da vitalidade da Igreja sobretudo hoje, num mundo que muda contínua e rapidamente tanto a nível de valores como de costumes.

Santa Rita de Cássia - Itália
Nem a Congregação para as Causas dos Santos, nem o Papa, "inventam" ou "fabricam" os santos. Como todos os cristãos sabem, isto é obra do Espírito Santo.
Que este mesmo Espírito como diz o Evangelho "sopra onde quer", é uma constatação a que estamos habituados desde há séculos, e hoje muito mais, uma vez que a Igreja está espalhada em todas as partes do mundo e em todas as camadas sociais.
 Os santos são como faróis; eles indicaram aos homens as possibilidades de que o ser humano dispõe.
"A primeira tarefa da Igreja é acompanhar os cristãos pelos caminhos da santidade (...) a Igreja é "a casa da santidade" e a caridade de  Cristo,  derramada  pelo  Espírito Santo, constitui a sua alma"

Um comentário:

  1. Enhorabuena por la reflexión! los santos son modelos a imitar para nosotros...testimonios vivos.Todos estamos llamados a ser santos.
    ¡Muchas gracias!
    Dios le bendiga!!!

    ResponderExcluir

DEIXE SEU COMENÁRIO OU ESCREVA PARA NÓS PELO E-MAIL:
apostolosdarosamistica@hotmail.com