NOSSA SENHORA DO PILAR
De acordo com uma antiqüíssima tradição, venerada e viva ao longo dos séculos, a Virgem Maria quando ainda morava neste mundo, isto é, antes de subir em corpo e alma aos céus, veio a Zaragoza-Espanha para confortar e alentar ao Apóstolo São Tiago que no momento, encontrava-se às margens do rio Ebro, pregando o Evangelho.

A Virgem apareceu sobre um pilar junto ao Ebro, ao apóstolo São Tiago, que chegara à Espanha para anunciar o Evangelho quando estava desanimado pelos insucessos, já disposto a retornar a Jerusalém. Trata-se de uma invocação que tem sido objeto de particular devoção dos espanhóis. Dificilmente poder-se-á encontrar na nação espanhola um povoado que não guarde com amor a pequena imagem sobre a santa coluna.Muito para além dos milagres espetaculares, a Virgem do Pilar é invocada como refúgio dos pecadores, consoladora dos aflitos, Mãe da Espanha. Sua ação é sobretudo espiritual. A devoção ao Pilar tem uma enorme penetração na Ibero-américa, cujos países celebram o dia do descobrimento de seu continente a 12 de outubro, isto é, no dia do Pilar.A Basílica fica aberta o dia inteiro, mas nunca faltam os fiéis que chegam ao Pilar em busca de reconciliação, graça e diálogo com Deus.
É popular na Espanha, especialmente a região de Aragon, a jaculatória: "Bendita seja a hora em que a Virgem veio em carne mortal a Zaragoza". Outra tradição chega a afirmar que a visita da Virgem à Espanha tenha ocorrido durante sua vida terrena.O Papa João Paulo II, por duas vezes escolheu este santuário como primeiro passo de suas viagens à América Latina: em 1979, para assistir à Conferência de Puebla e em 1984 para inaugurar as comemorações do V Centenário do descobrimento e o início da evangelização na América. Papa dizia nessa basílica, citando Puebla: "Ela (Maria) tem que ser cada vez mais a pedagoga do Evangelho na América Latina" (Puebla, 290). "Sim, continua dizendo o Papa, a pedagoga, a que nos conduz pela mão, que nos ensina a cumprir o mandato missionário de seu Filho e a guardar tudo o que Ele nos ensinou. O amor à Virgem Maria, Mãe e Modelo da Igreja, é garantia da autenticidade e da eficácia redentora de nossa fé cristã".A devoção a Nossa Senhora do Pilar remonta aos primeiros séculos do cristianismo. Segundo piedosa tradição, Nossa Senhora teria aparecido a São Tiago no ano 40 em Caesar Augusta, como se chamava então Zaragoza. Como testemunho desta aparição “em carne mortal” teria deixado uma coluna de jaspe, conhecida como “el pilar”. Ali se erigiu uma capela no ano 318, onde se acha atualmente a Catedral-Basílica de Nossa Senhora do Pilar em Zaragoza.
Já em 254, São Cipriano menciona a existência de uma comunidade cristã em Zaragoza, uma das mais antigas da Espanha. O bispo da cidade participou do Concílio de Elvira no início do século IV. Mesmo após a conquista muçulmana em 716, o cristianismo foi tolerado e o Pilar constitui-se num dos centros da fé cristã. Após a reconquista católica por Afonso I em 1118, devotos da Espanha, França e Itália ajudaram a restaurar a capela do Pilar, que se achava em péssimo estado. A partir do século XIII as tradições “pilaristas” se difundem por toda a Espanha. A atual basílica foi concluída e dedicada em 1872, durante os festejos da Padroeira.
Durante a Guerra Civil em 1936, os republicanos bombardearam a Basílica do Pilar. Uma bomba ficou cravada na basílica, outra atravessou o teto e a terceira chegou a penetra a abóbada do coreto da Virgem. Nenhuma das bombas de 50 kg cada chegou a explodir ou causar danos consideráveis. As bombas estão hoje expostas nas proximidades da capela da Virgem.
A imagem da Virgem do Pilar é feita de madeira dourada e mede 38 cm. Está sobre uma coluna de jaspe, “o pilar”, revestida com um forro de bronze e prata. Representa a Virgem Maria coroada com túnica e um manto, contemplando o menino Jesus que segura o manto de Sua Mãe com a mão direita e uma pomba branca com a esquerda.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENÁRIO OU ESCREVA PARA NÓS PELO E-MAIL:
apostolosdarosamistica@hotmail.com