A PEQUENA MENINA DE NAZARÉ TORNOU-SE A RAINHA DO MUNDO!
Após sua gloriosa Assunção ao céu, a Bem-aventurada Virgem Maria foi coroada pela Santíssima Trindade como Rainha dos homens, dos Anjos e de todo o Universo.
A Igreja recorda esse privilégio em 22 de agosto- festa de sua realeza universal!
Ela nasceu Rainha, porque para tal foi predestinada nos planos da Divina Providência, uma vez que foi eleita por Deus, desde toda a eternidade, para a singularíssima e transcendental missão de Mãe e Medianeira universal: os dois títulos fundamentais de sua realeza.
Na ordem sobrenatural a graça coloca Maria tão acima de toda criatura, que não pode deixar de ser a Rainha natural do mundo (incluídos homens e Anjos) a isto, porém, deve se acrescentar, como sempre, o título jurídico de sua maternidade, fonte de todas suas prerrogativas e funções. Maria é a Mãe do Rei e deve desfrutar das honras de Rainha-Mãe.
Para ser rei dos espanhóis há que ser espanhol, para sê-lo dos franceses necessário ser francês. Para ser rei dos homens, há que ser homem! Ora Maria é a fonte da humanidade de Cristo, logo a Ela se deve o fato de uma das condições necessárias para o reinado de Cristo. Quando ouvimos Jesus prometer a seus apóstolos de os fazer - porque O seguiram se serviram - poderosos em seu reino celeste (Mt. 19, 27-28), pensamos que Aquela da qual Ele recebeu, do berço à sepultura, do presépio do Calvário, um incomparável auxílio, em recompensa deve ser o primeiro personagem e a mais alta influência, depois d'Ele, nos céus. Compreendemos que Ela seja glorificada e exaltada com Ele, na proporção em que com Ele foi humilhada e martirizada.
Maria participou ÍNTIMAMENTE e de maneira muito especial, nas grandezas e nas humilhações de Jesus Cristo, para não ser com Ele coroada de glória e de honra, elevada com Ele acima dos próprios Anjos, partilhando sua soberania, Rainha-Mãe ao lado do Rei seu Filho.

Com razão acreditou sempre o povo fiel, já nos séculos passados, que a mulher, de quem nasceu o Filho do Altíssimo ─ o qual "reinará eternamente na casa de Jacó", como "Príncipe da Paz", "Rei dos Reis e Senhor dos senhores" ─ recebeu, mais que todas as outras criaturas, singulares privilégios de graça. E, considerando que há estreita relação entre a mãe e o seu filho, sem dificuldade reconheceu na Mãe de Deus a dignidade real sobre todas as coisas.
Assim, baseando-se nas palavras do Arcanjo Gabriel ─ que predisse que o Filho de Maria reinaria eternamente ─ e nas de Isabel, que se inclinou diante dela e a saudou como a "Mãe do meu Senhor", Bem como no povo de Jerusalém que com mantos e palmas aclamam Jesus como Rei que entra na cidade montado num jumentinho...compreende-se, claramente, que já os antigos escritores eclesiásticos saudando-a com respeito, chamassem a Maria "Mãe do Rei" e "Mãe do Senhor", dando a entender que, da dignidade e realeza do Filho derivara para a Mãe: grandeza, elevação e preeminência, especiais.
ORAÇÃO A MARIA - MÃE E RAINHA
Na solene cerimônia da proclamação da Realeza de Maria, no dia 1 de Novembro de 1954, o Papa Pio XII formulou a seguinte oração (concedendo quinhentos dias de indulgência, todas as vezes que recitada devotamente).

"Das entranhas desta terra de lágrimas, em que a humanidade sofredora penosamente se arrasta; entre as vagas deste nosso mar perenemente agitado pelos ventos das paixões, elevamos os olhos a Vós, ó Maria, Mãe estremecida, para reconfortar-nos contemplando a vossa glória, e para aclamar-Vos Rainha e Senhora dos Céus e da Terra, Rainha e Senhora nossa.Com legítimo orgulho de filhos queremos exaltar esta vossa realeza e reconhecê-la como a suma excelência de todo o vosso ser, ó dulcíssima e verdadeira Mãe d'Aquele que é Rei por direito próprio, por herança, por conquista.Reinai, ó Mãe e Senhora, mostrando-nos o caminho da santidade, dirigindo-nos e assistindo-nos, a fim de que dele não nos afastemos jamais.Do mesmo modo que exerceis no alto do Céu o vosso primado sobre as milícias dos Anjos, que Vos aclamam sua Soberana; sobre as legiões dos Santos, que se deleitam na contemplação da vossa fúlgida beleza; assim também reinai sobre todo o gênero humano, particularmente abrindo os caminhos da fé a quantos ainda não conhecem o vosso Divino Filho.Reinai sobre a Igreja, que professa e celebra o vosso domínio e a Vós recorre como a refúgio seguro, em meio às calamidades dos nossos tempos. Mas reinai especialmente sobre aquela porção da Igreja que é perseguida e oprimida, dando-lhe a fortaleza para suportar as adversidades, a constância para não se dobrar sob as injustas pressões, a luz para não cair nas insídias do inimigo, a firmeza para resistir aos ataques a descoberto, e em todos os momentos a inquebrantável fidelidade ao vosso Reino.Reinai sobre as inteligências, a fim de que busquem unicamente a verdade; sobre as vontades, a fim de que procurem somente o bem; sobre os corações, a fim de que amem exclusivamente o que Vós mesma amais.Reinai sobre os indivíduos e sobre as famílias, assim como sobre as sociedadee e as nações; sobre as assembléias dos poderosos, sobre os conselhos dos sábios, do mesmo modo que sobre as aspirações simples dos humildes.Reinai nas ruas e nas praças, nas cidades e nas aldeias, nos vales e nos montes, no ar, terra e no mar.E acatai a piedosa oração de quantos sabem que o vosso reino é reino de misericórdia, onde toda súplica encontra acolhida, toda dor conforto, toda desgraça alívio, toda enfermidade saúde, e onde como que a um simples aceno de vossas suavíssimas mãos, da própria morte ressurge sorridente a vida.Concedei-nos que aqueles que agora em todas as partes do mundo Vos aclamam e reconhecem como Rainha e Senhora, possam um dia no Céu gozar da plenitude do vosso Reino, na visão de vosso Filho, que com o Padre e o Espírito Santo vive e reina pelos séculos dos séculos. Assim seja!"

Um comentário:

DEIXE SEU COMENÁRIO OU ESCREVA PARA NÓS PELO E-MAIL:
apostolosdarosamistica@hotmail.com